Infelizmente, a decisão de realizar um diagnóstico organizacional (ainda não sabe o que é? Veja nesse artigo) ocorre, normalmente, quando a empresa já se está envolta por um emaranhado de problemas graves. São raras as vezes que esse trabalho emerge como estratégia gerencial no bojo de um planejamento do negócio, a fim de se detectar rapidamente eventuais transtornos existentes e resolvê-los, antes que afetem outras áreas da empresa. Afinal, uma empresa mergulhada em apuros terá, invariavelmente, maiores dificuldades em adotar as medidas saneadoras necessárias, vez que muitas delas exigem investimentos financeiros. Veja no artigo abaixo 3 passos para fazer um diagnóstico organizacional.

O dia a dia das organizações, em sua maioria, repleto de problemas que dão a sensação de se estar apagando incêndios consecutivamente, torna por vezes, inviável que as estratégias gerenciais possam ser implementadas, visto que, os problemas operacionais do cotidiano parecem ter uma importância maior.

Entretanto, convém mencionar que a grande maioria dos problemas inerentes às empresas já estão tão “enraizados” no dia a dia dessas organizações e que, às vezes, fica muito difícil para o empresário conseguir visualizá-los, assim como, eliminá-los por completo.

Então, podemos dizer que a utilidade do diagnóstico não é específica de empresas em crise. Muito pelo contrário, serve o mesmo para evitar que a crise se instale pela perpetuação dos problemas. Pode-se dizer que é um verdadeiro “check-up” da empresa, conferindo ao gestor uma visão global do negócio, posto que analisa as mais variadas hipóteses de inadequações eventualmente existentes, apontando as alternativas para sua regularização.

O diagnóstico organizacional pode ser realizado através de três passos simples:

Passo 1: Levantamento preliminar buscando o conhecimento detalhado dos principais fluxos funcionais da empresa;

Passo 2: Análise e Diagnóstico da situação atual, com a indicação de soluções alternativas para os problemas encontrados;

Passo 3: Elaboração do Relatório com os principais problemas, e a apresentação das alternativas de solução que atendam aos interesses da empresa.

O diagnóstico é, portanto, um instrumento indispensável para a implementação de uma gestão estratégica da empresa, moldado a partir de técnicas gerenciais de primeira ordem.