ASO

Exames Admissional/ Demissional e Periódico – ASO – Atestado de Saúde Ocupacional

O ASO (Atestado de Saúde Ocupacional) é um documento emitido pelo médico em duas vias:

  • 1ª via ficará arquivada no local de trabalho do trabalhador, inclusive frente de trabalho ou canteiro de obras, à disposição da fiscalização do trabalho conforme o item 7.4.4.1 da NR 07.
  • 2ª via será obrigatoriamente entregue ao trabalhador, mediante recibo na primeira via de acordo com o item 7.4.4.2 da NR 07.

De acordo com o item 7.4.4.3 da NR 07, o ASO deverá conter no mínimo:

  1. a) nome completo do trabalhador, o número de registro de sua identidade e sua função;
  2. b) os riscos ocupacionais específicos existentes, ou a ausência deles, na atividade do empregado, conforme instruções técnicas expedidas pela SSST (Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho);
  3. c) indicação dos procedimentos médicos a que foi submetido o trabalhador, incluindo os exames complementares e a data em que foram realizados;
  4. d) o nome do médico coordenador, quando houver, com respectivo CRM (Conselho Regional de Medicina);
  5. e) definição de apto ou inapto para a função específica que o trabalhador vai exercer, exerce ou exerceu;
  6. f) nome do médico encarregado do exame e endereço ou forma de contato;
  7. g) data e assinatura do médico encarregado do exame e carimbo contendo seu número de inscrição no CRM.

Item 7.4.5.: Os dados obtidos nos exames médicos, incluindo avaliação clínica e exames complementares, as conclusões e as medidas aplicadas deverão ser registradas em prontuário clínico individual, que ficará sob a responsabilidade do médico-coordenador do PCMSO.

Item 4.4.5.1.: Os registros a que se refere o item 7.4.5. deverão ser mantidos por período mínimo de 20 (vinte) anos após o desligamento do trabalhador.

Havendo substituição do médico a que se refere o item 7.4.5., os arquivos deverão ser transferidos para seu sucessor.

EXAME ADMISSIONAL

Um dos requisitos para a contratação do empregado é o exame admissional onde conste sua aptidão física e mental para o exercício da função, o qual deverá ser feito por um médico especializado em medicina do trabalho.

Ainda, de acordo com a NR 07, em seu item 7.4.3.1, o exame médico admissional, deverá ser feito antes que o trabalhador assuma suas atividades.

Além dos exames de rotina, a critério médico, poderá ser solicitada a realização de exames complementares dependendo da atividade, como por exemplo: audiometria, espirometria, urina, sangue, de acordo com os Quadros I e II da NR 07.

Importante mencionar que, em regra, no exame admissional não serão permitidos testes de esterilização, gravidez e exame de HIV (AIDS), visto que são considerados como práticas discriminatórias conforme o artigo 2° da Lei n° 9.029/95 e artigo 2° da Portaria do MTE n° 1.246/2010, respectivamente.

Prazo para realização do exame admissional

De acordo com a NR 7 item 7.4.3.1. o exame médico admissional, deverá ser realizado antes que o trabalhador assuma suas atividades.

EXAMES PERIÓDICOS

De acordo com o item 7.4.3.2 da NR 07 serão realizados exames médicos periódicos, de acordo com os intervalos mínimos de tempo abaixo discriminados:

  1. a) para trabalhadores expostos a riscos ou a situações de trabalho que impliquem o desencadeamento ou agravamento de doença ocupacional, ou, ainda, para aqueles que sejam portadores de doenças crônicas, os exames deverão ser repetidos:

a.1) a cada ano ou a intervalos menores, a critério do médico encarregado, ou se notificado pelo médico agente da inspeção do trabalho, ou, ainda, como resultado de negociação coletiva de trabalho;

a.2) de acordo com a periodicidade especificada no Anexo n° 6 da NR 15, para os trabalhadores expostos a condições hiperbáricas;

  1. b) para os demais trabalhadores:

b.1) anual, quando menores de 18 anos e maiores de 45 anos de idade;

b.2) a cada dois anos, para os trabalhadores entre 18 anos e 45 anos de idade.

EXAME DEMISSIONAL

Assim como no momento da admissão, na rescisão, a empresa também deverá encaminhar o empregado para realização do exame demissional para avaliação das condições físicas e mentais do empregado.

Desde 10/12/2018, de acordo com a Portaria MTb n° 1.031/2018, a qual alterou o item 7.4.3.5 da NR 07, o exame demissional será realizado em até 10 dias contados a partir do término do contrato, desde que o último exame médico ocupacional tenha sido realizado há mais de:

  • 135 dias para as empresas de grau de risco 1 e 2, segundo o Quadro I da NR 04;
  • 90 dias para as empresas de grau de risco 3 e 4, segundo o Quadro I da NR 04.

Conforme determina o item 7.4.3.5.1 da NR 07, as empresas enquadradas no grau de risco 1 ou 2 poderão ampliar o prazo de dispensa da realização do exame demissional, além dos 135 dias, em decorrência de negociação coletiva, assistida por profissional indicado de comum acordo entre as partes ou por profissional do órgão regional competente em segurança e saúde no trabalho.

Com relação as empresas com grau de risco 3 e 4, de acordo com o item 7.4.3.5.2 da NR 07, essas poderão ampliar o prazo de dispensa da realização do exame demissional em até mais 90 dias, em decorrência de negociação coletiva assistida por profissional indicado de comum acordo entre as partes ou por profissional do órgão regional competente em segurança e saúde no trabalho.

Lembrando que, de acordo com o item 7.4.3.5.3 da NR 07, quando as condições de trabalho representarem potencial de risco grave aos empregados, por determinação do Delegado Regional do Trabalho, com base em parecer técnico conclusivo da autoridade regional competente em matéria de segurança e saúde do trabalhador, ou em decorrência de negociação coletiva, as empresas poderão ser obrigadas a realizar o exame médico demissional independentemente da época de realização de qualquer outro exame.

Enquadramento do Grau de Risco da Empresa

Para determinação do grau de risco 1 e 2 ou grau de risco 3 e 4 a empresa deverá ter conhecimento do número CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômica) da atividade que desenvolve e consultar o Quadro I da NR 04.

Prazo para Realização do Exame Demissional

Desde de 10/12/2018, de acordo com a Portaria MTb n° 1.031/2018, a qual alterou o item 7.4.3.5 da NR 07, o exame demissional será realizado em até 10 dias contados a partir do término do contrato.

Conheça as regras e vantagens em contratar um jovem aprendiz

O programa Jovem Aprendiz foi instituído de acordo com a Lei nº 10.097/2000, regulamentada pelo Decreto nº 5.598/2005. Destinado a oferecer vagas de empregos para Jovens entre 14 e 24 anos.
O governo federal tem uma série de políticas que, realmente, transformam e melhoram a vida de diferentes tipos de pessoas.
Um desses importantes programas é o Jovem Aprendiz, que trouxe para o mercado de trabalho adolescentes que antes tinham bastante tempo ocioso. Conheça e entenda o que ele é, como ele funciona, entre outras informações relevantes sobre essa essencial política pública federal.
O QUE É?
O programa Jovem Aprendiz é uma política pública que coloca adolescentes no mercado de trabalho, ganhando um salário e fazendo um curso de profissionalização em alguma área específica. É a mistura de educação com a prática no mercado de trabalho, sendo uma maneira bem elaborada do adolescente ter o primeiro emprego, aprender uma nova profissão e começar a buscar sua independência financeira, além de poder ajudar em casa com as contas e ter essa maturidade desde mais cedo. É um projeto amparado pela Lei da Aprendizagem, que tem como objetivo capacitar tecnicamente os jovens para o mercado de trabalho, através de parceria com empresas de grande e médio porte. Nesse projeto o jovem é incentivado a encontrar seu primeiro emprego e, através das leis, têm todos os direitos trabalhistas e previdenciários assegurados, além de ser necessário prosseguir com os estudos. Dessa forma, é possível inserir jovens no mercado de trabalho com idade inferior a 18 anos, contribuindo para a capacitação profissional do jovem e proporcionando experiência desde cedo, auxiliando o desenvolvimento profissional de adolescentes em geral.

CRITÉRIOS

Segundo a Lei da Aprendizagem, Empresas de médio e grande porte devem assegurar a contratação de, no mínimo 5% e no máximo 15% das vagas que exijam apenas formação profissional. Ao ser contratado por uma destas empresas, o jovem é preparado por meio de aulas teóricas e práticas concomitantemente às atividades desenvolvidas na empresa. Para fazer parte desse programa, é preciso cumprir alguns critérios, seja a empresa ou o próprio aprendiz.
Características:
* Jovens entre 14 à 24 anos;
* Contrato de 2 anos;
* Jornada de Trabalho de 6 à 8 horas;
* Incentivos tributários para a Empresa;
COMO FUNCIONA?
O programa Jovem Aprendiz é dividido em dois pontos específicos: o primeiro é a parte do aprendizado em sala de aula, em que o jovem faz um curso de qualificação técnica em alguma instituição credenciada pelo programa. A segunda parte é quando ele coloca em prática esse conhecimento em alguma empresa que contrate o Jovem Aprendiz. Ele recebe um salário todo mês para participar das aulas e também para o trabalho. Ou seja, na época do curso, o Jovem Aprendiz também recebe, não é apenas quando ele já está na etapa do estágio em alguma empresa. Normalmente, o Jovem Aprendiz recebe um salário mínimo e trabalha nas horas que não influenciam ou atrapalham o rendimento escolar dele.
BENEFÍCIOS
Além da oportunidade de estudar uma profissão e colocá-la em prática, o programa Jovem Aprendiz é a chance de primeiro emprego de muitos adolescentes e jovens do país. Eles também recebem um salário, vale-transporte, refeição, direito às férias, contribuição para o INSS e tudo mais.
QUEM PODE SER UM JOVEM APRENDIZ?
Um Jovem Aprendiz pode ser qualquer jovem entre 14 e 24 anos, assíduo na escola (caso ainda não tenha concluído o ensino médio), e que tenha sido inscrito em algum programa de aprendizagem. A seleção do jovem é realizada pela empresa contratante conforme procedimento próprio.
QUANTO TEMPO POSSO TRABALHAR POR DIA, SENDO UM JOVEM APRENDIZ?
A Lei da Aprendizagem determina que o jovem não pode ter a jornada de trabalho superior a 6 horas diárias, que equivale a 30 horas semanais, incluídas as horas para aulas teóricas. Caso o estudante já tenha concluído o ensino fundamental, é possível estender para 8 horas diárias, desde que estejam incluídas as horas para a aprendizagem teórica.
REMUNERAÇÃO
O salário de um jovem aprendiz é calculado de acordo com as horas trabalhadas, portanto se diz que o aprendiz recebe salário mínimo-hora. Porém algumas empresas optam por pagar ao aprendiz o salário mínimo ou salário piso. O valor do salário mínimo vigente em 2019 é de R$ 998,00,sendo assim, o valor base diário do salário corresponde a R$ 33,27 e o valor hora do salário mínimo é de R$ 4,54. VAGAS Elas são disponibilizadas pela própria empresa. Existem alguns programas específicos espalhados por todo Brasil como Correios, Caixa Econômica Federal e Itaú. Para participar desses programas, você precisa entrar no site, fazer a inscrição, participar do processo seletivo e depois aguardar o resultado, além do trabalho, o Jovem aprendiz precisa fazer cursos de aprendizagem o quais são feitos nas instituições de ensino do sistema ‘S’, como SESC, SENAC, SESI, SENAI….entre outras instituições definidas e cadastras pelo governo federal.
COMO A EMPRESA DEVE PROCEDER COM O CONTRATO DE UM JOVEM APRENDIZ?
O contrato de um Jovem Aprendiz deve seguir algumas regras. O contrato de aprendizagem deve ser um acordo especial, ao qual o prazo não pode ser superior a dois anos. Nesse acordo, deve ser garantida ao jovem a formação técnico-profissional que contribua com seu crescimento e educação, ao passo que o jovem deve se comprometer a executar as atividades atribuídas a ele, como estudos e atividades na empresa, de forma correta. A assinatura do acordo deve garantir ao jovem a assinatura em sua carteira de trabalho, bem como o pagamento da Previdência Social.
EXISTE INCENTIVOS FISCAIS PARA AS EMPRESAS?
Sim! As empresas que participam do projeto Jovem Aprendiz possuem diversas vantagens e incentivos fiscais.
• Pagamento de apenas 2% de FGTS;
• É dispensada do aviso prévio remunerado;
• Não precisa pagar a multa rescisória.

Licença Remunerada

Principais licenças remuneradas previstas na legislação brasileira

Todos os trabalhadores (aproveite e veja nosso artigo sobre a contratação de jovem-aprendiz) com carteira assinada têm direito de se ausentar do serviço em algumas ocasiões sem ter o dia ou o período descontado do seu salário. As licenças remuneradas estão previstas na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), mas constituem situações específicas que precisam ser justificadas e documentadas para que não haja prejuízo na remuneração. As principais licenças trabalhistas remuneradas previstas da CLT são:

Licença-Óbito ou Nojo: Permite a ausência do trabalhador por dois dias consecutivos em caso de falecimento do cônjuge, pais ou filhos. Para comprovar a morte do familiar, o empregado deve entregar à empresa uma cópia do atestado de óbito. A contagem da licença começa a valer no dia da morte do familiar.

Licença-Casamento ou Gala: Prevê até três dias de folga para empregados que acabaram de se casar. A licença começa a contar no dia do casamento civil. Para documentar basta uma cópia da certidão de casamento, porque o empregador também precisará alterar os dados em seus cadastros.

Licença por Doação de Sangue Voluntária: Uma vez por ano, o trabalhador pode se ausentar do trabalho para doar sangue. O órgão receptor da doação emite uma declaração que precisa ser entregue à empresa para comprovar a ausência.

Licença-Vestibular: O trabalhador pode se ausentar nos dias em que precisar realizar provas de exame vestibular para ingresso em estabelecimento de ensino superior.

Licença-Eleitor: Possibilita a ausência do empregado por dois dias consecutivos ou não, para se alistar como eleitor. Convocados para atuar nas eleições também têm direito a dois dias de folga por cada dia à disposição da Justiça Eleitoral.

Licença-Juízo: Permite o afastamento do trabalho pelo tempo que se fizer necessário, quando tiver que comparecer à Justiça. Nesses casos, a Justiça emite documento comprovando o comparecimento.

Licença por Serviço Militar Obrigatório: Prevê afastamento no período em que o trabalhador tiver de cumprir as exigências do Serviço Militar (alistamento e seleção). O empregado deverá apresentar à empresa documento que comprove seu comparecimento às Forças Armadas.

Licença-Sindical: Possibilita o afastamento pelo tempo que se fizer necessário, quando, na qualidade de representante de entidade sindical, estiver participando de reunião oficial de organismo internacional do qual o Brasil seja membro.

Licença-Acompanhamento: Os pais têm até dois dias para acompanhar consultas médicas e exames complementares durante o período de gravidez da esposa ou companheira. Pais ou mães têm direito a um dia por ano para acompanhar filho de até seis anos em consulta médica. Para justificar a falta, basta entregar à empresa o atestado de acompanhamento do paciente.

Licença-Paternidade: Prevê cinco dias de afastamento após o nascimento do filho. Servidores públicos federais e funcionários de empresas que fazem parte do Programa Empresa Cidadã têm o período de licença ampliado para 20 dias. Também em caso de morte da mãe é assegurado ao pai empregado licença por todo o período de licença-maternidade ou pelo tempo restante que a mãe teria direito.

Licença-Maternidade: As trabalhadoras têm direito de 120 dias de licença gestante. Esse período pode ser estendido para até 180 dias para servidoras públicas federais e funcionárias de empresas que fazem parte do Programa Empresa Cidadã. Em caso de adoção, também é concedido salário-maternidade. Nesses casos, o adotante permanece em licença pelo período de 120 dias. Para os recém-nascidos, o pai também tem direito à licença paternidade. O direito se aplica a partir do momento da comprovação da adoção.

Licença-Médica: O benefício é dado ao funcionário, devido a um problema de saúde diagnosticado por um médico que impossibilite exercer suas funções. Até os 15 primeiros dias do afastamento, o funcionário obtém a licença-médica, a partir do 16º dia, ele passa a receber o auxílio-doença, de responsabilidade do INSS.

Durante a licença remunerada, a ausência do empregado é justificada e computada no tempo de serviço. O período de afastamento será considerado para o cálculo do 13º salário. O trabalhador que permanecer de licença remunerada por mais de 30 dias não terá direito à aquisição de férias nesse período. Já no caso em que a licença concedida for de até 30 dias, o empregado continuará tendo direito ao gozo e remuneração das férias, considerando, inclusive, o tempo de afastamento para computar essa remuneração.

Exame – Mudança de Função

É um procedimento realizado quando os empregados são transferidos de setor ou mudam de função. Este deve acontecer antes da data da mudança, apenas em empregados que, com esta alteração, passarão a ficar expostos a riscos ocupacionais diferentes daqueles a que estavam expostos antes da mudança. Ou seja, funcionários que sejam alocados em funções diferenciadas (devido a mudança interna da organização, ou por recebimento de promoção), que tenham sido expostos aos mesmos riscos ocupacionais anteriores, não passarão por exame de Mudança de Função.

Este procedimento médico é formado pela anamnese patológica completa (clínica e ocupacional) do colaborador, munido também do exame clínico completo. Neste procedimento examina-se aspectos gerais de saúde do paciente, desta maneira o médico do trabalho pode analisar se o trabalhador está apto para exercer a nova função (em termos médicos) e se o exercício desta não trará problemas às suas condições físicas e mentais.

Já que o trabalhador poderá ser exposto a riscos ocupacionais diferentes, além do exame clínico, exames complementares deverão ser realizados, de acordo com a determinação dos Quadros I e II da NR-7 (Audiometria, Acuidade Visual, Espirometria, Laboratoriais, EEG, ECG, Psicotécnico, Raio X, etc). Tais exames serão pedidos para garantir à empresa contratante que o empregado poderá (ou não) realizar uma nova atividade laboral (em termos médicos).

Se o contratado não possuir problemas que o impossibilitem de realizar a função ou mudança a qual foi contratado, este estará apto para esta mudança. Quando o empregado apresentar algum problema de saúde que seja incompatível com a nova função a desempenhar na empresa, ele será considerado inapto. Neste último caso, a empresa contratante não deverá continuar com o processo da alteração da função do empregado, pois a saúde dele estará em risco.

Observa-se que é comum empresas alocarem funcionários em novos setores ou novas funções sem realizar os exames médicos (clínico e complementares) ou antes de realizarem tais procedimentos. Assim, uma possível alteração no resultado de algum exame complementar pode não ser levada em consideração pela empresa que já o alocou em um novo cargo, o que acarretará problemas para o próprio empregado, para os outros empregados e para a empresa que o contratou.

 

Clique no link a seguir a para saber mais informações sobre as Leis Trabalhistas.

Terceirização de departamento pessoal rj

Terceirização de departamento pessoal

Artigo sobre: Terceirização de departamento pessoal

É possível, nos dias de hoje, uma empresa não se preocupar com as obrigações em sua folha de pagamento? Posso lhe dizer que é possível sim. Além disso, também é viável conseguir reduzir bastante as despesas atribuídas ao departamento pessoal de sua empresa. Mas para isso, é necessário adotar algumas medidas.
Atualmente, o governo busca através de projetos como o e-Social estabelecer a unificação das informações trabalhistas, previdenciárias, tributárias e fiscais que deverão ser prestadas ao fisco. Essas informações terão de ser exatas e verídicas, principalmente, relacionadas aos seus colaboradores, como por exemplo: bônus, horas extras, folha de pagamento, prêmios, benefícios, recolhimento de FGTS, INSS, medicina e segurança do trabalho, dentre outras.
Podemos chegar à conclusão que um dos objetivos do governo é controlar melhor as empresas, além de inevitavelmente conseguir aumentar a arrecadação. As multas previstas por omissão ou inconsistência serão altíssimas, e podem levar a empresa a ter que “fechar as portas”, caso não se enquadre as novas exigências.
Não há mais espaço no mercado para empresas que não façam a coisa certa, que não invistam em tecnologia e pessoal qualificado. É necessário se ter consciência de que sem estrutura a empresa não vai sobreviver por muito tempo.
Por isso, é vital que as empresas se dediquem a missão para qual foram criadas, buscando sempre o aprimoramento constante, com o objetivo de alcançar a excelência nos segmentos em que desejaram atuar.
banner central dos post do blog
Sendo assim, a terceirização de departamento pessoal é a melhor opção para as empresas terem qualidade em seus serviços e também redução nos custos operacionais. Logo ao proceder a terceirização de departamento pessoal o empresário estará delegando a responsabilidade do cumprimento das novas obrigações para a empresa responsável por executar o trabalho. Além disso, conseguirá uma sensível redução nos custos financeiros da empresa, pois, um departamento pessoal interno demanda um investimento considerável em colaboradores mais qualificados, encargos, treinamento periódico e principalmente em sistemas de informação.
A Plane, quando formaliza contrato com uma empresa, sempre realiza um breve diagnóstico da situação atual e, posteriormente, aplica alguns treinamentos, aos responsáveis do setor, apresentando o modo correto de como a empresa deve proceder. Agindo dessa forma, é possível detectar e corrigir de forma rápida os problemas existentes, colocando a empresa totalmente enquadrada no que tange as obrigações emanadas pelo governo e ainda reduzir os custos financeiros.
Então podemos dizer que é realmente possível uma empresa ficar livre das preocupações com as obrigações em sua folha de pagamento. Fica evidente, então, que adotando a terceirização de departamento pessoal os sócios da empresa e seus colaboradores podem dedicar mais tempo as atividades para qual a empresa foi criada, obtendo dessa forma maior retorno financeiro e pessoal.
Portanto, a terceirização de departamento pessoal é a decisão mais acertada para o cenário que estamos vislumbrando para esse ano e principalmente 2017, em virtude principalmente do e-Social. Por isso, é oportuno nesse momento descrever a gama de benefícios que Plane oferece ao mercado:

  • e-Social (departamento específico para tratar somente do e-Social);
  • Auditoria de Folha de Pagamento, relacionada ao e-Social;
  • CONTRACHEQUE ONLINE;
  • Recebimento/Movimentação da Folha de Pagamento Online;
  • Administração de Benefícios;
  • Registro de Profissionais Contratados;
  • Elaboração de Obrigações Acessórias Anuais: DIRF, RAIS e Informes de Rendimentos;
  • Elaboração e Produção de Informações para Envio ao Ministério do Trabalho;
  • Elaboração de Folha de Pagamento e Cálculo de Encargos Sociais;
  • Elaboração de Mapas de Acompanhamento de Concessão de Férias;
  • Acompanhamento de Acordos, Convenções / Dissídios Coletivos;
  • Assessoria Trabalhista e Previdenciária no Atendimento à Fiscalização;
  • Envio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) ao Ministério do Trabalho.

Atualmente no mercado não existem muitas empresas que prestam trabalhos similares aos oferecidos pela Plane (www.plane.com.br). Por isso, estamos seguros de poder superar as expectativas de nossos clientes. Entre em contato conosco através do telefone (21) 3553-8190, ramal: 8300 e/ou pelo e-mail comercial@plane.com.br e agende uma reunião para podermos demonstrar a nossa capacidade em bem atendê-lo.
Caso prefira: Clique aqui para ir para a página de CONTATO.

Artigo sobre: Tendência para os serviços de departamento pessoal
A terceirização é a tendência para os serviços de departamento pessoal?

A terceirização é a tendência para os serviços de departamento pessoal?

Artigo sobre: Tendência para os serviços de departamento pessoal

 Qualquer empresa para evoluir e progredir deve contar com bons serviços em todos os seus departamentos, mas o Departamento Pessoal deve ter atenção especial. As pessoas que trabalham nesse departamento desempenham um papel importante para que os colaboradores internos à empresa desempenhem seu trabalho de maneira mais eficiente, o que, no fim das contas, resulta em lucros para a empresa.
Essa área executa algumas das funções primordiais para o andamento de um negócio, como a admissão (e demissão) de colaboradores, calcula salários, administra benefícios, dentre outras. No entanto, a rotina de um Departamento Pessoal vai muito além disso. Seu trabalho também está ligado a questões legais e tributárias, que requerem atenção máxima. Do contrário, a empresa pode ficar em “maus lençóis”…
Podemos dizer então, que a função do Departamento pessoal é administrar as relações entre empregador e o colaborador, visando dar a este oportunidades de crescimento e fazendo com que o colaborador se sinta valorizado na estrutura organizacional da empresa. Pois, é necessário se ter em mente que um dos maiores ativos de uma empresa é o colaborador.
Mas precisamos avaliar também a visão do empregador que, às vezes, fica em dúvida quanto a contratação de um serviço terceirizado ou a criação de um Departamento Pessoal próprio para a sua empresa. Sobre essa questão, podemos abordá-la de várias formas onde sempre existirão prós e contras, mas se colocarmos os custos na ponta do lápis, um Departamento Pessoal interno fica muito mais oneroso, do que se contratar uma empresa especializada para realizar esse serviço.
Para exemplificarmos essa opção, não é necessário irmos a fundo aos cálculos para compararmos os custos financeiros. Podemos apenas citar, as novas obrigações que estão sendo impostas as empresas pelo Governo Federal, como por exemplo, o eSocial. Caso o departamento interno da empresa cometa algum erro, o ônus cairá sobre a própria empresa. Isto é, multas “pesadas”. Agora, se a empresa contratar uma empresa especializada, e por acaso aconteça algum erro esse ônus, em geral, é da empresa que está executando o serviço, conforme contrato acordado entre as partes.
Além disso, se, por exemplo, formos levar em consideração o custo da folha de pagamento, mais o impostos de um departamento interno esse valor será bem mais alto do que se contratarmos uma empresa especializada. Em resumo, a terceirização do Departamento Pessoal é a melhor alternativa para o momento que as empresas estão vivendo no Brasil.
banner central dos post do blog
Entretanto, para proceder à escolha de uma empresa para a execução dos serviços, ora mencionados, é primordial que se busque uma empresa com pessoal qualificado e uma excelente estrutura, tanto física quanto de sistemas de informática. Isso por que, as exigências dos órgãos governamentais são muito rígidas e necessitam ser feitas, praticamente, em tempo real. Por isso, uma empresa com uma ótima estrutura operacional é vital para esse tipo de serviço.
Hoje, a Plane é reconhecida no mercado como uma empresa moderna que prima pela qualidade na prestação de serviços. Atualmente, com uma carteira de clientes com mais de 400 empresas, e mais de 100 colaboradores em sua equipe, a Plane possui estrutura operacional e sistêmica para atender a todas as exigências emanadas pelos órgãos de fiscalização. Visto possuir, a mais de dois anos, um departamento que trata exclusivamente do eSocial, onde os seus clientes já estão adequados as exigências desse novo sistema. Além disso, a Plane também oferece aos seus clientes o serviço de contracheque online e o sistema de apontamento de folha de pagamento online, onde todos esses serviços realizados através do site da empresa, www.plane.com.br.
Portanto, não perca mais tempo! Entre em contato conosco através do telefone (21) 3553-8190, ramal: 8300 e/ou pelo e-mail comercial@plane.com.br, venha para a Plane e tenha tranqüilidade e segurança quando tratar de Departamento Pessoal.
Caso prefira: Clique aqui para ir para a página de CONTATO.

Artigo sobre: Tendência para os serviços de departamento pessoal

Por que é importante terceirizar o departamento pessoal da sua empresa?

Artigo Sobre: Departamento Pessoal

Folha de pagamento é o nome dado a uma relação, que pode ser diária, semanal, ou ainda mensal da remuneração paga aos colaboradores de uma empresa, também conhecido como contracheque ou holerite. Toda organização no Brasil tem o dever legal de prepará-la, trata-se de um grupo de procedimentos trabalhistas efetuado pela empresa para fazer o pagamento ao colaborador.
O processamento da folha de pagamento tem grande valor junto ao departamento pessoal, em razão da abundância de procedimentos técnicos existentes para transformar todos os dados do colaborador e da organização em um produto final.
Muitos problemas podem ocorrer no dia a dia das organizações, relacionadas a folha de pagamento, como por exemplo, possíveis diferenças de férias gozadas no mês, diferenças no 13º salário, arredondamentos, compensações de saldos anteriores. Enfim, uma gama enorme de informações estão sujeitas a erros na confecção de uma folha de pagamento.
Contudo, para o empresário nada é pior do que estar exposto a possíveis infrações, sem mesmo saber por que tal fato ocorreu. Sendo assim, devido a experiência da Plane nesse tipo de prestação de serviços, podemos afirmar categoricamente que é muito importante ter pessoal qualificado para desempenhar as funções exigidas por um departamento pessoal.
Também é fundamental a empresa dispor de infra-estrutura operacional com modernos softwares e equipamentos novos e potentes que atendam a todas as exigências dos órgãos do governo.
Entretanto, hoje em dia, o custo para se possuir uma equipe interna que desenvolva os serviços de departamento pessoal com qualidade e consistência é muito alto, e às vezes não é compensatório, pois, não faz parte da atividade fim da empresa. Por isso, a melhor saída para as empresas que buscam qualidade e menores custos é a terceirização.
banner central dos post do blog
A competitividade dos mercados cada vez mais acirrada exige que o empresário dedique seus esforços na busca por melhores resultados para a sua empresa, e não demande o seu tempo em questões operacionais. Sendo assim, é vital buscar uma empresa séria, que prime pela qualidade e, principalmente, possua uma estrutura operacional capaz de atender ao mercado.
O departamento pessoal da Plane vem desenvolvendo, a mais de 15 anos, um excelente trabalho junto aos seus clientes, onde as principais atividades são:

  • e-Social;
  • Auditoria de Folha de Pagamento, relacionada ao e-Social;
  • CONTRACHEQUE ONLINE;
  • Recebimento/Movimentação da Folha de Pagamento Online;
  • Administração de Benefícios;
  • Registro de Profissionais Contratados;
  • Elaboração de Obrigações Acessórias Anuais: DIRF, RAIS e Informes de Rendimentos;
  • Elaboração e Produção de Informações para Envio ao Ministério do Trabalho;
  • Elaboração de Folha de Pagamento e Cálculo de Encargos Sociais;
  • Elaboração de Mapas de Acompanhamento de Concessão de Férias;
  • Acompanhamento de Acordos, Convenções / Dissídios Coletivos;
  • Assessoria Trabalhista e Previdenciária no Atendimento à Fiscalização;
  • Envio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) ao Ministério do Trabalho.

Entre em contato conosco, através do telefone (21) 3553-8190, ramal 8300, ou pelo e-mail comercial@plane.com.br , faça-nos uma visita e/ou solicite uma proposta. Teremos muito prazer em demonstrar toda a nossa capacidade em bem atendê-lo.
Caso prefira: Clique aqui para ir para a página de CONTATO.

Artigo Sobre: Departamento pessoal

O que sua empresa necessita saber sobre departamento pessoal?

O que sua empresa necessita saber sobre departamento pessoal?

Artigo Sobre: Departamento Pessoal

O Departamento Pessoal também chamado de DP é parte integrante de todas as empresas, contudo, atualmente devido aos altos custos associados a salários elevados dos colaboradores e também a investimentos em infra-estrutura operacional, como sistemas informatizados e maquinário (computadores), essas funções ficam melhores administradas através de um escritório de contabilidade com expertise nesse serviço. Em todo caso, o DP é imperioso para o adequado funcionamento das rotinas administrativas da empresa, pois fazem a ligação entre a administração e os colaboradores.
Já passou o tempo em que às atividades do Departamento Pessoal se resumiam a controlar os documentos dos colaboradores, estimar o valor da folha de pagamento e emitir as guias para pagamento de impostos. Entretanto, nos dias de hoje o DP, infelizmente, em alguns casos, passou a ser visto com maus olhos devido aos problemas que vem causando nas empresas. O Departamento Pessoal é hoje a área mais frágil e detalhista da empresa, e se as atividades deste não forem bem feitas, acarretará transtornos financeiros, e nas relações entre os envolvidos nesse processo, como por exemplo o colaborador, o empregador, o escritório contábil e o ministério do trabalho.
Por isso, é muito importante ser cuidadoso na escolha do escritório de contabilidade que cuidará do Departamento Pessoal da sua empresa. Ele será responsável pela organização e administração de todas as rotinas relacionadas à relação de emprego existente entre o colaborador e a empresa, como por exemplo: a contratação, o pagamento de salários, o transporte, as férias, o 13º salário, dentre outras.
banner central dos post do blog
Para tentar auxiliar no entendimento das atividades do Departamento Pessoal, podemos dividi-lo basicamente em três setores, conforme o tamanho da empresa:

  • Admissão: trata do processo de integração da pessoa contratada pela empresa, dentro dos critérios administrativos e jurídicos.
  • Manutenção/Controle: trata do processo de controle de freqüência, pagamento de salários e benefícios, bem como pagamento de taxas, impostos e contribuições.
  • Desligamento: trata do processo de desligamento e quitação do contrato de trabalho, estendendo-se na representação da empresa junto aos órgãos oficiais.

Podemos então concluir que o Departamento Pessoal é muito valioso, sendo essencial que o mesmo esteja alinhado as legislações trabalhistas, previdenciárias e ao regulamento da empresa. Esse fato, aliado a um custo financeiro bem menor, em comparação a ter um DP interno, torna a terceirização do Departamento Pessoal uma solução bem mais vantajosa.
Então, não perca mais tempo! Entre em contato com a Plane, através do telefone (21) 3553-8190 – ramal: 8300 e/ou através do e-mail, comercial@plane.com.br , e venha conhecer nossa sede, no Centro do Rio de Janeiro. Teremos muito prazer em recebê-lo e demonstrar toda nossa capacidade em bem atendê-lo.
Caso prefira: Clique aqui para ir para a página de CONTATO.

Artigo Sobre: Departamento Pessoal

WhatsApp chat